Complexo Tornozelo/Pé - Parte I

by WikiA série de artigos abordará a anatomia, cinesiologia e biomecânica funcional.

Estrutura do Pé

É composto por 38 articulações e 26 ossos divididos em ossos do tarso (7), metatarso (5) e falanges (14).

Os ossos do tarso são pequenos e irregulares, assim como os do carpo, se articulando e sendo estabilizados através de ligamentos muito fortes e músculos que se ativam durante o movimento e a descarga de peso.

Estrutura do Tornozelo

O tornozelo é, também, conhecido como articulação talocrural composta pela superfície articular superior do tálus, articulação tibiofibular distal que forma uma pinça articular se encaixando com primazia no tálus, dando forma à articulação. A forma irregular do tálus e a sua influência na biomecânica articular serão abordadas mais a frente.

Art. tibiofibular

Articulações Importantes

A diversidade de estruturas no tornozelo/pé não depende apenas da sua harmonia, assim como no restante do nosso corpo, elas têm o seu pleno funcionamento relacionado às outras estruturas do membro inferior. A articulação subtalar, principal responsável pela pronação e supinação do pé infere no movimento, em conjunto, de outras estruturas como o calcâneo realizando eversão associado com a adução do tálus no movimento de pronação. Outra importante articulação acontece entre o navicular e o cuneiforme medial, às vezes pouco lembrada ela é muito importante na sustentação do arco longitudinal do pé. A contração do músculo tibial posterior aplica uma movimentação entre esses ossos e gera uma “trava” mecânica entre eles auxiliando na sustentação desse arco durante as atividades de marcha, salto ou apenas de sustentação de peso. Durante a marcha as articulações entre o cuneiforme medial e o primeiro metatarso, e a metatarso-falangiana tem grande importância durante o apoio simples e a fase de impulso.

A articulação do tornozelo é composta pela articulação tibiofibular distal formando a pinça articular que se encaixa no tálus. A movimentação desse complexo envolve a porção proximal da articulação tibiofibular, já que há uma movimentação da fíbula durante os movimentos do tornozelo. A partir desse ponto pode-se ter idéia da complexidade de movimentação do membro inferior.

Estabilizadores Mediais

Estabilizadores Mediais Passivos

O ligamento que suporta o compartimento medial é o ligamento deltóide que possui uma origem no maléolo tibial e várias inserções, assumindo o formato de leque. As suas inserções são nos ossos navicular , tálus e calcâneo, são eles: tibiotalar anterior e posterior, tibionavicular e tibiocalcâneo, que juntos formam o forte ligamento deltóide.

Estabilizadores Laterais Passivos

Os ligamentos laterais compreendem o talofibular anterior, talofibular posterior e o calcâneofibular. São importantes estabilizadores e sofrem tensão principalmente em situações de estresse no movimento de inversão. O talofibular anterior é o primeiro a ser recrutado durante o movimento de flexão plantar associado com a inversão do pé.

Estabilizadores Laterais

Estabilizadores Centrais

Compreendem a membrana interóssea, ligamentos tibiofibulares anterior e posterior, além da porção da cápsula anterior.

 

 

 

 

 

 

 

No próximo artigo a cinesiologia e biomecânica do complexo Tornozelo/Pé.

 

0 comentários:

 
BlogBlogs.Com.Br